5017777

Assine 5017777 por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Ministro de Lula liga joias dadas a Bolsonaro a venda de refinaria

Em uma postagem feita no X (antigo Twitter), Paulo Pimenta faz um relato como um passo a passo

Por Valmar Hupsel Filho
Atualizado em 5 jan 2024, 19h34 - Publicado em 5 jan 2024, 17h20

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta, sugeriu haver uma ligação entre o episódio em que o ex-presidente JairBolsonaro e sua mulher, Michelle, receberam joias milionárias da família real dos Emirados Árabes Unidos e a venda de uma refinaria por um valor 10 bilhões de reais abaixo do mercado. “Vender um bem público a preço de bananas é lesar o povo brasileiro. A PF agora vai investigar se Bolsonaro lesou o país em troca de joias”, afirmou Pimenta nas redes sociais.

Em uma postagem feita no X (antigo Twitter) nesta sexta-feira, 5, o ministro faz um relato como um passo a passo (veja abaixo).

Na quinta-feira 4, a Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou um relatório no qual afirma que a venda da refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, em novembro de 2021, foi feita com preço abaixo do valor de mercado e apresentou fragilidades como a escolha do momento do negócio – quando havia uma “tempestade perfeita” e o valor do petróleo estava em forte baixa por causa da pandemia. A refinaria foi vendida por 1,65 bilhão de dólares ao fundo Mubadala Capital, que pertence à família real dos Emirados Árabes.

Outros importantes membros do governo interagiram com a publicação de Paulo Pimenta. “Importante esclarecer se há alguma conexão com o episódio das joias”, afirmou o advogado-geral da União, Jorge Messias, em postagem no X na qual marca o chefe da CGU, Vinícius Marques de Carvalho.

Continua após a publicidade

PF vai investigar

APolícia Federal vai investigar se a venda da refinaria a preço abaixo do mercado tem alguma relação com os presentes que Bolsonaro e Michelle receberam da família real dos Emirados Árabes meses antes da conclusão do negócio. O casal recebeu ao menos três levas de joias como relógio, canetas, abotoaduras, colares de diamantes e esculturas cujos valores, somados, ultrapassam 15 milhões de reais. Uma verdadeira operação, inclusive com uso de aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), foi organizada para trazer as joias sem declará-las à Receita Federal. Pela lei, todo bem avaliado em mais de 5.000 reais (1.000 dólares) deve ser declarado na chegada ao país.

Parte desses presentes chegou a ser vendida nos Estados Unidos, mas teve de ser resgatada por aliados de Bolsonaro para ser devolvida por determinação do Tribunal de Contas da União (TCU). O ex-presidente e a ex-primeira-dama, além de outros envolvidos na tentativa de trazer as joias ao país sem declará-las à Receita Federal, foram ouvidos em depoimentos na PF. Os inquéritos seguem abertos.

 

Publicidade
5017777 Mapa do site

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por 5017777.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

5017777 Mapa do site